2 de abr de 2015

Popularidade de Dilma esta mais baixo que o "Pré-Sal", 64% consideram seu governo "ruim/péssimo"

Apenas 12% consideram o governo Dilma Rousseff “ótimo ou bom”, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira. De acordo com o instituto, 23% consideram o governo “regular” e 64% “ruim ou péssimo”. 
Na pesquisa de dezembro, 40% consideravam o governo “ótimo ou bom”, 28 pontos a mais em relação à pesquisa divulgada hoje. Também na pesquisa anterior, 32% consideravam o governo “regular” e 27% “ruim ou péssimo”.
A queda de popularidade da presidente ocorreu tanto entre os eleitores que votaram no senador Aécio Neves (PSDB-MG) quanto nos que votaram nela no segundo turno das eleições. No fim do ano, 63% dos que votaram na presidente consideravam o governo ótimo ou bom. Agora, apenas 22%. Entre os eleitores do tucano, 12% avaliavam de forma positiva, contra 2% atuais.
É o pior índice da série histórica divulgada pela CNI. Até então, o menor resultado para o mês de março havia sido registrado em 1999, quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teve 22 % de ótimo ou bom. De acordo com Renato Fonseca, gerente de pesquisa da CNI, as medidas econômicas tomadas no início do segundo contribuíram para a queda de popularidade entre os eleitores da presidente:
— Ela (Dilma) já tinha uma aprovação muito baixa em relação aos entrevistados que declararam ter votado no Aécio, o que é natural depois de uma eleição bastante polarizada. O que explica exatamente essa queda de popularidade são os eleitores da Dilma. O quadro atual, a intensificação da crise, inflação, desemprego aumentando e todas as medidas de ajuste fiscal geraram essa insatisfação — explicou.

Avaliação do governo Dilma Rousseff - Arte O Globo
MANEIRA DE GOVERNAR E CONFIANÇA
De acordo com o mesmo levantamento divulgado nesta quarta-feira, 19% dos brasileiros disseram aprovar a maneira de governar da presidente Dilma. Em dezembro, 52% da população aprovavam a maneira de governar de Dilma. O resultado de hoje mostra uma queda de 33 pontos.
Também houve queda de 51% para 24% no percentual dos que confiam na presidente. Os que não confiam subiu de 24% para 74%. Na comparação com o primeiro governo, 76% dos entrevistados disseram que o segundo mandato da presidente está pior que o primeiro.
Em todas as áreas de atuação avaliadas na pesquisa, o percentual de desaprovação é superior a 60%. As questões econômicas aparecem como os fatores com o maior índice de reprovação. As políticas de taxa de juros e impostos são reprovadas por 89% e 90% da população, respectivamente. Já o combate à inflação é reprovada por 84% e as ações na área de saúde por 85%. O combate à fome e à pobreza têm o maior índice de aprovação entre os itens: 33%.
O levantamento foi realizado entre os dias 21 e 25 deste mês, com 2.002 pessoas em 142 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.
DATAFOLHA
No dia 18 de março, o instituto Datafolha já havia detectado a queda de popularidade da presidente. Em pesquisa realizada entre os dias 16 e 17 de março, o governo da petista foi avaliado apenas por 13% dos entrevistados como “bom e ótimo”, contra 62% de “ruim e péssimo”.

Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente