18 de jun de 2015

Paraná: Em 111 cidades, salários dos professores são maiores que os dos prefeitos




A política de valorização salarial dos servidores pode ser constatada em um simples cruzamento dos vencimentos dos professores da rede estadual de ensino com outros agentes públicos. Em pesquisa feita nos portais de transparência dos municípios e do Estado observa-se que em 111 municípios há professores com salários maiores que os dos prefeitos. O número equivale a 27,8% dos municípios paranaenses.


























O impacto é maior, principalmente, nas cidades do interior, onde o custo de vida é menor e o poder de compra dos salários praticados pelo Estado se sobressai em relação aos pagos pela iniciativa privada e pelas prefeituras. O levantamento também mostra que em 33 municípios paranaenses (8,2%), a diferença salarial entre os professores melhor remunerados e os prefeitos é pequena - menos de R$ 500,00.
As regiões do Norte Pioneiro, Oeste, Noroeste e Norte Central concentram os educadores com salários mais altos. Dos 46 municípios do Norte Pioneiro, em 19 (41,3%) há professores que ganham mais que o prefeito.
Outro exemplo: as maiores distâncias entre os salários de professores e prefeitos estão nos municípios com menos de 10 mil habitantes. Em Nova Santa Bárbara, cidade de quatro mil moradores do Norte Pioneiro, o prefeito tem salário de R$ 10.390,00 mensais e o professor com mais alto vencimento recebe R$ 18.546,90 
– R$ 8.156,90 a mais.
Em Itambaracá, de 6,8 mil moradores, o prefeito recebe R$ 7.854,71 e o maior vencimento de um professor é R$ 14.671,23, uma diferença de R$ 6.816,52. Outras cidades com casos semelhantes no Norte Pioneiro são Abatiá, Assaí, Andirá, Bandeirantes, Barra do Jacaré, Cambará, Conselheiro Mairinck, Guapirama, Itambaracá, Jaboti, Jataizinho, Jundiaí do Sul, Leópolis, Santa Amélia, São Jerônimo da Serra, Sapopema, Siqueira Campos e Uraí.
OESTE – Em São José das Palmeiras, cidade de 4,2 mil habitantes no Oeste do Paraná, 15 professores recebem de R$ 5.348,50 a R$ 11.151,43, remunerações mais elevadas que as do prefeito, que ganha R$ 4.560,20.
Na região, 16 dos 50 municípios (32%) têm educadores com remunerações maiores que os prefeitos. Além de São José das Palmeiras, há exemplos em Anahy, Assis Chateaubriand, Campo Bonito, Capitão Leônidas Marques, Diamante D’Oeste, Formosa do Oeste, Ibema, Iguatu, Iracema do Oeste, Lindoeste, Mercedes, Nova Santa Rosa e Ramilândia.
Já na região Noroeste, em 24 (39,3%) dos 61 municípios é possível verificar que há professores com salários maiores que os prefeitos. Marilena, com 6,8 mil habitantes, é um exemplo. Lá, o professor com maior salário recebe R$ 12.657, enquanto o prefeito R$ 8.000,00. A diferença de R$ 4.657,45 é a maior registrada na região Noroeste. Em Diamante do Norte, de 5,6 mil habitantes, o professor com maior salário recebe R$ 17.873,72 – R$ 4.150,92 a mais que o prefeito.
As outras cidades do Noroeste com casos semelhantes – salários dos professores maiores do que os de prefeitos - são Brasilândia do Sul, Guairaçá, Inajá, Itaúna do Sul, Jardim Olinda, Jussara, Maria Helena, Nova Aliança do Ivaí, Nova Olímpia, Paraíso do Norte, Paranapoema, Pérola, Planaltina do Paraná, Rondon, Santa Cruz de Monte Castelo, Santa Izabel do Ivaí, Santo Antonio do Caiuá, São Pedro do Paraná, São Tomé, Tapejara, Tapira e Xambrê.
NORTE CENTRAL – Em 25 dos 79 municípios do Norte Central (31,6%) existem professores com vencimentos mais altos que os prefeitos. Em algumas cidades, há mais de um caso, como em Califórnia. O salário da prefeita é de R$ 8.914,84 e há oito professores com vencimentos de R$ 9.420,00 a R$ 13.970,40.
Em quatro municípios do Norte Central os salários de professores e prefeitos são equivalentes. Em Londrina, a segunda maior cidade do Paraná, o salário do prefeito é de R$ 14.853,26, pouco mais que os R$ 13.960,12 recebidos pelo professor com maior vencimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente