16 de jun de 2014

Congonhinhas fica em uma das piores colocações no ranking de emprego no Norte do Paraná segundo CAGED

Saulo Ohara/17-04-2013
Lavouras de cana foram responsáveis pelo saldo positivo de contratações no Norte Pioneiro
Cambará – De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do governo federal, 1.064 vagas de emprego foram geradas no primeiro quadrimestre do ano no Norte Pioneiro. Foram 8.643 admissões contra 7.579 demissões no período. No Paraná, 579.135 pessoas foram admitidas e 523.214 demitidas, saldo de 55.921. Dos 46 municípios do Norte Pioneiro, apenas 18 (39%) tiveram saldo positivo. Impulsionada pelo aquecimento do setor sucroalcooleiro nos primeiros meses do ano, Cambará lidera o ranking com 1.234 admissões e 644 demissões, variação de 590 empregos. O mesmo setor contribuiu para deixar Bandeirantes no fim da tabela, com 599 contratações e 726 demissões (-127). 
Além de Cambará, integram a lista nas cinco primeiras posições: Santo Antônio da Platina (492), Andirá (231), Cornélio Procópio (110) e Ribeirão Claro (105). A partir da sexta colocada, Santa Mariana, o saldo cai drasticamente para 29. São José da Boa Vista, na 18ª posição, é a última com saldo positivo, (2). As últimas três posições são ocupadas por municípios importantes. Siqueira Campos, município mais industrializado da região, teve balança negativa de 70 demissões. Jacarezinho apresentou variação de (-82) e Bandeirantes (-127). O secretário de Indústria e Comércio de Bandeirantes, José Roberto Altivani, creditou os dados à sazonalidade da safra de cana-de-açúcar, mas não soube detalhar o motivo das 92 demissões no setor.
O presidente do comitê gestor de micros e pequenas empresas de Cambará, André Telles da Silva, explicou que as vagas sazonais sempre impulsionam o município para o primeiro lugar do ranking nos primeiros meses do ano, mas contou que falta fôlego para manter os resultados no segundo semestre. “Fevereiro e Março são meses em que as usinas trabalham no máximo da capacidade, porém no segundo semestre recuamos tradicionalmente para a quinta ou sexta posição”. O setor alimentício, que abriga unidades da Panco e a Yoki, também contribui com o aquecimento da economia na cidade com contratações expressivas de operadores de linha de produção.
Já em Santo Antônio da Platina, a planta da multinacional Yazaki do Brasil, fabricante de chicotes elétricos para veículos, é a maior empregadora do município. Nesses quatro meses, foram 593 contratações e 162 demissões no cargo de alimentador de linha de produção. O Secretário de Indústria e Comércio, Genildo José Luiz Siqueira, destacou também o crescimento do ramo de confecção. Já no setor comercial a variação foi negativa, com 32 demissões a mais que contratações no cargo de vendedores do comércio varejista.
MICRORREGIÕES
Entre as cinco microrregiões, a de Jacarezinho foi a melhor colocada, com saldo de 1.096 empregos. Destaque para Cambará, Santo Antônio da Platina e Ribeirão Claro. O segundo melhor desempenho é da microrregião de Cornélio Procópio, com saldo de 145 empregos. A microrregião de Ibaiti ficou em uma zona intermediária, com saldo de 21 empregos gerados. No entanto, Ibaiti teve 12 demissões a mais que contratações. As piores situações foram registradas nas microrregiões de Assaí (-96) e de Wenceslau Braz (-102).
 Congonhinhas ficou entre as piores situações registradas entre todas as cidades, Congonhinhas ficou em 43º Lugar, com 26 Admissões e 96 Desligamentos, variação de -70.
 Santo Antônio do Paraíso também apresentou um índice ruim, a cidade ficou em 39º com 6 admissões e 23 desligamento,  variação de -17.
 Nova Fátima ficou em 16º com 12 admissões e 9 desligamentos, variação positiva de 3, nas primeiras colocações ficaram Cambará, Santo Antônio da Platina, Andirá, Cornélio Procópio e Ribeirão Claro.

Redação Folha de Londrina (Reportagem Local) com National Noticias 

Comente