17 de fev de 2014

Na véspera de cassação, prefeito de Uraí renuncia ao cargo

O prefeito de Uraí, Almir Fernandes de Oliveira (PPS), renunciou nesse domingo (16), na véspera da sessão da Câmara que votaria sua cassação. A saída definitiva do chefe do Executivo, que já estava afastado do mandato desde janeiro, foi homologada pelo Legislativo na manhã desta segunda-feira (17).
O vice Sérgio Henrique Pitão (PSC) continuará à frente da prefeitura. O presidente da Câmara de Uraí, Claudinei dos Reis (Solidariedade), informou que as quatro investigações desenvolvidas pelos vereadores serão encaminhadas ao Ministério Público.
"Hoje, nós teríamos a sessão de cassação, mas foi anulada porque perdeu o objeto. O objeto seria cassá-lo, mas como ele renunciou não teria sentido. As comissões que estão em andamento vão ser enviadas à Promotoria do Patrimônio Público porque existem denúncias e irregularidades", disse.
Uraí Online
Na véspera de cassação, prefeito de Uraí renuncia
Oliveira era alvo de quatro comissões no Legislativo
 O vereador acredita que a renúncia do prefeito encerra uma fase turbulenta da cidade. "Está tudo sob controle, o vice já estava interinamente. Já tomou várias atitudes para moralizar o serviço público, a população está acatando com bons olhos. Vamos torcer para que tudo transcorra bem", informou.
O novo prefeito Sérgio Henrique Pitão declarou que terá desafios à frente da máquina pública. "Temos que reestruturar o município porque nós não temos maquinário, temos apenas um caminhão que veio funcionando. Todos os setores estão uma calamidade, pegamos toda a estrutura abandonada, com deficiência em todas as áreas, na saúde, educação", disse.
Com relações rompidas com Almir Fernandes de Oliveira há vários meses, Pitão disse que não sabia da renúncia e tem tratado diretamente com o Ministério Público para buscar soluções para a administração. A reportagem de odiario.com não conseguiu contato com Oliveira.
Quatro Comissões
Na manhã desta segunda-feira, a Câmara votaria a cassação do ex-prefeito após ter apontado que Rosane Rodrigues da Silva Reghin acumulava o salário de dois padrões como professora e também o de secretária de Educação. A denúncia foi feita pelo ex-vereador Altair Murilho no ano passado.
Já a denúncia de Carlos Renato Calovi dá conta que houve desvio de finalidade pela Associação de Proteção à Maternidade, Infância e Família de Uraí. Uma comissão também foi aberta para apurar nova acusação de Murilho sobre o excesso com gasto pessoal, em desconformidade com a Lei de Responsabilidade Fiscal. A quarta investiga um suposto pagamento irregular a um comissionado, informação dada por João Carlos Leite.
Revelia

Comente