7 de fev de 2014

Jovem de Cornélio Procópio comete suicídio na Bahia


Clique para Ampliar
Por volta das 17h20, de quarta-feira (5), a Polícia Militar de Caravelas na Bahia, foi informada sobre a ocorrência de um suposto suicídio, ocorrido no interior de uma residência, localizada na Rua Adalício Nogueira, no Bairro Tancredo Neves, próximo ao um posto de combustível.

Uma guarnição se deslocou ao local, tomou as primeiras providências e acionou a Polícia Civil. Uma equipe liderada pelo delegado titular, Dr. Maderson Souza esteve no local, juntamente com os peritos do Departamento de Polícia Técnica, liderada pelo perito criminal, Dr. Marco Antônio Lima.

Tratava-se de Gabriel Yudi Uemura da Rosa, 17 anos de idade, morador da referida residência. Segundo informações coletadas no local, o tio chegou na residência, pois o Gabriel teria sumido o dia todo. Ao entrar no quarto do Gabriel, o encontrou caído na cama. Os peritos chegaram ao local e encontraram o corpo em decúbito dorsal, caído sobre uma das camas do quarto, junto ao corpo foi encontrado um revólver, calibre 38, com 03 munições, sendo que duas estavam intactas e uma deflagrada e devidamente alinhada no tambor.

Foi encontrado um projétil de arma de fogo, compatível com o calibre da arma encontrada no quarto. Segundo o perito Marco Antônio, a vítima encontrava-se com uma perfuração de entrada na região lateral direita da cabeça (temporal), cujo projétil transfixou, e atingiu a parede do quarto. Ainda segundo a perícia, havia sinais de combustão de pólvora ao redor da perfuração. A perícia encontrou ainda, uma bolsa com um coldre de arma e outras munições intactas. Todo o material relevante para o inquérito policial foi passado ao delegado.

Também foi encontrado um envelope, deixado pela vítima com dois pen drives (de uma amiga) e uma carta, em que o Gabriel se despedia de todas as pessoas (parentes e amigos) de que ele gostava e que foram importantes em sua vida. Segundo o delegado Maderson, os peritos recolheram a arma e a carta para posteriores exames que possam complementar o laudo técnico da perícia de local. “A arma passará por uma perícia físico-descritiva e de prestabilidade”, acrescentou o delegado. Após a perícia o corpo foi removido ao IML para necropsia.

De acordo com familiares, Gabriel que era ex-morador de Cornélio Procópio, estudava no Colégio Polivalente de Caravelas e estava passando por dificuldades na escola, tendo poucos amigos. Ainda segundo a família, ele morava na residência com um primo cadeirante, de quem ele ajudava a cuidar e sofria constantemente de “Bullying” pelas suas características físicas, mas que não sabem dizer se isso o teria levado a apresentar algum tipo de depressão. O caso será investigado pelo delegado Maderson, que já instaurou inquérito policial.
 Edvaldo Alves

Comente