10 de jan de 2014

Hoje todo Brasil está sob o índice extremo de radiação ultravioleta

Esta sexta-feira exigirá maiores cuidados para quem quiser curtir o dia de praia ou for trabalhar sob o sol. Todo o Brasil estará sob o índice extremo de radiação ultravioleta, que sem a devida proteção pode gerar queimaduras na pele, acentuar o envelhecimento, provocar câncer e problemas oculares. A previsão de alerta dura até terça-feira, dia 14, de acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe). A partir de 11 pontos a radiação UV é considerada extrema e atingirá sua máxima nos horários entre 10h e 15h, quanto chegará a 13,5 pontos. Mesmo se o dia estiver nublado, a incidência será alta, ainda que menor se comparada com um céu limpo. O ozônio é o principal gás da nossa atmosfera responsável pela absorção da radiação ultravioleta, porém nesses dias a sua concentração na atmosfera será menor sobre o Brasil. Medido em Dobson (DU), a camada de ozônio apresentará valor 240 sobre o Estado. Porém o meteorologista Leandro Puchalski explica que há outros fatores que também influenciam na medida. — Esse alto índice depende da nebulosidade, se ela for maior, também ajuda a filtrar a radiação. Esse medida de 13 pontos é considerando céu limpo. Mas exige maior atenção e cuidados, afinal a intensidade estará muito elevada e perto do máximo —explica Puchalski Para evitar problemas de saúde e se proteger dos efeitos nocivos dos raios UV deve-se evitar o sol nos horários de pico, entre 10h e 15h, quando a radiação atingirá o nível máximo. Chapéus, bonés, e óculos de sol também ajudam na proteção. E claro, protetor solar é essencial e deve ser resposto com frequência. Atenção também à areia. Por ser muito clara também reflete a radiação que recebe em cerca de 30%, portanto, mesmo sob a sombra do guarda-sol, é necessário cuidados.
Diario catarinense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente